Vamos à Route 66 e vimos já | A Viagem

15 abril 2018

Finalmente chegou o grande dia! Depois de termos dado uns saltinhos à América nas últimas semanas, hoje é o momento de partilhar as nossas experiências de viagem na Route 66...
Para quem não está a par do que se passa aqui, juntamente com a Lucie do blog Lucie Lu, estamos a promover um projeto bem especial, o Vou ali e Venho Já. Podem consultar a apresentação do projeto aqui, mas no fundo, mais não é do que uma viagem coletiva virtual através do Street View da Google, em que qualquer um pode tomar parte.

Para a primeira viagem, o local escolhido foi a Route 66, a famosa estrada norte-americana que liga Chicago a Los Angeles. Com um total de 3 939 km, esta estrada é mais do que um mero percurso de passagem, encarnando a mística da aventura, do sonho americano e da liberdade. O percurso foi imortalizado através do cinema, da música e das artes no geral, e agora também por nós, que (re)descobrimos alguns dos excertos deste caminho cheio de coisas para ver!





Quando decidimos a Route 66 como "destino" para esta primeira viagem, foi inevitável não criar alguma expetativa: será que bateria certo com a América dos filmes e do imaginário de aventura que havia construído?
O primeiro impacto foi delicioso, Newberry Springs, Califórnia, bateu certinho com o que esperava! Desde as infinitas paisagens douradas, coroadas por detalhes inesperados, como caixas de correio perdidas na beira da estrada, muitas vezes associadas a caravanas estacionadas em pequenos terrenos, equipadas como verdadeiras casas (fogareiros incluídos!); aos cartazes com frases escritas à mão, publicidades curiosas, e em alguns momentos, paragens típicas dos filmes dos anos 60, com gasolineiras e motéis a convidar a um descanso na viagem.

Seguiu-se o Arizona e depois o Texas, e mais uma vez confirmei a minha já anterior constatação: mais do que o percurso em si (um pouco monótono e com alta, mas mesmo alta, probabilidade de andarmos por aí perdidos) encantaram-me os locais com pequenas povoações que a estrada atravessa, onde é possível espreitar para dentro dos quintais e ver baloiços feitos de maneira, bandeiras da América, decorações de Halloween e a vida a acontecer. Amarillo no Texas, Bristow e Sapulpa, no estado de Oklahoma, foram das minhas cidades favoritas e foram muitos os registos que de lá trouxe.

Aquilo que registei reflete o que procuro nas viagens de corpo e alma: detalhes da realidade, que exprimam a cultura e a forma de estar dos habitantes locais. Foi sem surpresas que esta "viagem" me deixou ainda mais apaixonada pelo interior pulsante da América, e com uma vontade gigantesca de atravessar o ecrã.

Mas para já, fiquem com um bocadinho daquilo que foi a minha jornada virtual pela Route 66 (carreguem lá nas setinhas, que eram tantos os registos que o post ficaria gigante!)

Route 66 - Daniela







Esta primeira aventura no "Vou ali e venho já" começou com uma viagem no tempo. Depois de procurar a estrada da route 66, atirei o boneco do Street View algures para o meio do mapa da América e comecei a minha viagem ao calhas. Assim que dou os primeiros passos pela estrada, encontro um pequeno parque com... dinossauros!

Não podia haver melhor maneira de ter a certeza que estava na América 😂 

Com uma entrada destas decidi continuar por aquela estrada, no sentido Los Angeles, e foi com Arctic Monkeys a tocar no fundo que cheguei ao Arizona. Depois de quase meia-hora onde se via pouco mais do que carros e alcatrão, tive de parar quando dou de caras com um campo de basebol mesmo na beira da estrada (America, right?):


Imagino o filme para irem buscar a bola quando a mandam para a estrada!

E foi neste momento que a minha viagem tomou um rumo diferente, porque foi aqui que a Daniela me alertou que tinha perdido o fio à meada e estava na I-40 e não na route 66 😅😅😅 Depois de algum tempo, a bater com a cabeça na parede sem perceber onde raio é que estava o caminho original, decidi carregar no botão de reset e começar a viagem de um sítio onde eu tivesse a certeza que era a estrada desejada!
E foi assim que recomecei a minha viagem em Goffs Rd, na California.


A partir daqui fui seguindo a estrada até ao Roy's Motel em Amboy, onde terminei já quase com 2 horas de viagem. Para falar a verdade, o tal reset foi a melhor coisinha que podia ter acontecido, já que tirando os dinossauros, o campo de basebol e a voz do Alex Turner, a viagem inicial tinha roçado a linha da monotonia. Já desde que a retomei em Goffs Rd, pude assistir às profundezas da América e, apesar de grande parte do percurso ser um verdadeiro deserto, onde não se vê vivalma em kms e kms de estrada, uma pessoa consegue sentir um cheirinho daquela emoção de fazer a tão badalada Route 66. O bichinho que tinha de pegar num carro e fazer isto na vida real cresceu e de que maneira!






👆👆 GOALS!!!👆👆

Esperamos que tenham gostado de vir à boleia desta primeira viagem, e lembrem-se, também podem fazer parte da próxima! É super simples! Enviem um email para voualiivenhoja@gmail.com que a gente tira as dúvidas todas!

Boas viagens :) 

7 comentários:

  1. Que bela maneira de começar! Gostei imenso de ir à boleia convosco e de ficar a conhecer esta Route 66 pelos vossos olhos :)
    Continuem o ótimo trabalho!

    ResponderEliminar
  2. Dos Estados Unidos ainda só conheço São Francisco e Los Angeles.
    A próxima será Nova Iorque.
    Onde era suposto ir no dia ... 12 de Dezembro de 2001.
    Boa semana

    ResponderEliminar
  3. Gostei tanto desta viagem pela Route 66!
    Acho que as vossas fotografias espelham perfeitamente a mística à qual os filmes nos habituaram. E os detalhes que vão aparecendo ao longo da mesma são fantásticos.
    Fico à espera do próximo destino :D

    ResponderEliminar
  4. Aproveitei a boleia e viajei convosco em belo caminhar!
    bj

    ResponderEliminar
  5. Vim aqui parar através do blog Merakiland.pt e gostei imensamente. Vou enviar um email. É das viagens que estão na nossa To Do List.

    ResponderEliminar
  6. As vossas fotografias têm uma energia muito peculiar.

    Adoro a fotografia da "lanchonete" (sempre adorei esta palavra) à beira da estrada. E a motinha no pôr do sol! Onde é que irá ser a próxima viagem?

    ResponderEliminar
  7. acho que toda a gente que fez esta viagem deve ter a mesma opinião... o raio da 66 às vezes mais parece a agulha no palheiro!
    mas valeu bem a pena!
    ah e gosto particularmente da foto de claremore... imaginei uma cena à moda de hitchcock no seu birds...
    siga!

    ResponderEliminar

Palavreiro(a), vai em frente, partilha connosco as tuas palavras :)