Vamos ali a Buenos Aires e vimos já | Viagem Virtual

15 maio 2018

Depois da viagem virtual coletiva à Route 66, o projeto "Vou Ali e Venho Já" está de volta, desta vez numa passeata online por Buenos Aires! Para quem não está a par, trata-se de um projeto aberto a qualquer pessoa que tenha interesse em juntar-se a nós e à Lucie Lu, os anfitriões desta aventura, para uma viagem por Street View, com "encontro" marcado ao dia 15 de cada mês para a divulgação da experiência! :) 

Espreitem o resultado da primeira edição: Galeria-Revista da Route 66
Podem ler aqui todos os detalhes caso queiram participar! 
Mas agora, vamos lá espreitar o nosso "diário de bordo" desta experiência!



Ao contrário da primeira viagem, não fui para esta com grandes expectativas. Confesso que não tinha nenhuma ideia pré-concebida da cidade de Buenos Aires, e por isso foi uma imersão completa no desconhecido! Como seria de esperar, aterrei virtualmente no coração do bairro de La Boca, no famoso Caminito, e deixei-me deslumbrar pelo espetáculo de vida e cores exuberantes daquele lugar.

Captura de ecrã 2018-05-08, às 09.38.05

Captura de ecrã 2018-05-08, às 09.36.07

Captura de ecrã 2018-05-08, às 09.43.12

No entanto, à medida que me ia afastando desse nicho pulsante de alegria, fui vendo uma realidade de Buenos Aires que certamente nunca verei pessoalmente. Essa é uma das "vantagens" deste projeto, podermos cruzar as fronteiras que nós próprios impomos em relação à nossa segurança quando estamos a viajar... Essa constatação, que já partilharei abaixo, acabou por se refletir um bocadinho na forma como passei a ver o Caminito quando lá voltei para registar mais algumas coisas. Onde vira alegria e cor, agora não deixo de ter um olhar mais crítico de uma espectacularização quase doentia de um pequenino espaço turístico, explorado à exaustão, que não reflete a realidade do resto da cidade.

Captura de ecrã 2018-05-08, às 09.53.06

1244 Dr. del Valle Iberlucea

A poucos metros deste aglomerado turístico, Buenos Aires despe-se de artifícios para a dura realidade. Uma das coisas que mais me chamou a atenção nesta cidade é que se em "paredes limpas, povo mudo", aqui o povo grita com tudo o que tem. Mesmo nas zonas mais cuidadas da cidade não há parede que resista às reivindicações de melhores salários e habitação digna. Estamos a falar de uma cidade cujos problemas de ordenamento territorial remontam ao passado da ditadura, e cuja distribuição da cidade foi precariamente construída em medidas contraproducentes, umas atrás de outras, que perpetuam até hoje as assimetrias de um território lotado.

1061 Rocha

6550 Zuviría

Captura de ecrã 2018-05-08, às 09.58.14

Captura de ecrã 2018-05-09, às 13.19.33

Captura de ecrã 2018-05-09, às 13.20.55

Plaza de Mayo

Plaza Jardines de Invierno

Calhou de estar a ler o "Comer, Orar e Amar", de novo, à data desta "viagem" e a descrição que a Liz faz de Nápoles assenta aqui que nem uma luva: "selvagem, roufenha, barulhenta, suja, máscula", à qual tomei a liberdade de acrescentar uma lista mais extensa de palavras - colorida, contestatária, dura, ambivalente, poderosa, imponente, (des)organizada, crua, irreverente, sexy e amarga. Este foi o meu olhar sobre Buenos Aires, uma cidade que não me conquistou a ponto de a visitar presencialmente, mas que tive um gostinho especial em espreitá-la através do ecrã.




Sabem o que são medianeras? Segundo o Wikipédia "é nome dado àquelas paredes sem janelas dos edifícios, também chamadas de paredes cegas.", e é também o título de um filme que se passa em Buenos Aires (na tradução do Brasil decidiram reforçar colocando "Buenos Aires da Era do Amor Virtual") e que foi o meu primeiro contacto com esta cidade, há uns 3 ou 4 anos atrás. É um filme sobre solidão, instalado na visão de uma cidade sobrelotada, que na altura me transmitiu uma sensação um bocado agridoce da mesma. Mas, como mal me lembrava do filme, decidi dar início à viagem pelo primeiro local lá retratado que me veio à memória: o planetário (que é o local favorito de uma das personagens).



“Lo que hace el planetario es ponerme en mi lugar. Recordarme que el mundo no gira alrededor mío, que soy una parte muy pequeña de un planeta, que es parte de un sistema, que es parte de una galaxia, que como cientos de miles de galaxias forman parte del universo. Me recuerda que soy parte de un todo infinito y eterno.”

Uma coisa que me encanta nas cidades é o facto de serem todas tão diferentes e iguais ao mesmo tempo. Há pormenores comuns em todas, sejam árvores, pedras, casas, carros, etc., há sempre recortes de uma cidade que podemos capturar em outras mil. O que realmente as distingue são as pessoas, as que lá habitam e nós próprios com a nossa visão da sua realidade. Por isso, para Buenos Aires decidi simplesmente partir à descoberta, à procura de algo que me prendesse o olhar, que me enchesse o coração da beleza das pequenas coisas...














... e encontrei.

Gostaram desta viagem por terras argentinas? Lembrem-se que também podem participar! Basta enviarem um email para voualiivenhoja@gmail.com para fazerem parte desta aventura virtual!

Boas viagens :) 

8 comentários:

  1. Até parece que estamos em sítios completamente distintos, onde, por um lado, reina toda essa cor, mas, por outro, onde também se distingue essa desorganização.
    Confesso que tenho alguma curiosidade em visitar Buenos Aires presencialmente, ainda que não esteja no topo da minha lista.

    Adorei o vosso olhar :)

    ResponderEliminar
  2. E o passeio de hoje foi "SUPIMPA"!!! ADOREI cada um dos olhares ... bj

    ResponderEliminar
  3. olá! na busca pela minha viagem também passei por algumas das vossas vistas e na verdade reparei nesse cão à espreita... desconfio que o dono do happiness bar do outro lado da rua lhe dá as sobras de carne às escondidas...

    gostei do vosso olhar por buenos aires!

    ResponderEliminar
  4. Não tinha essa ideia de Buenos aires. São dois olhares completamente distintos mas percebe se bem e é como se tivesse passado por lá!

    ResponderEliminar
  5. Wow adorei conhecer Buenos Aires através destas fotos, acho super fascinante esse contraste! :)
    R: A minha escola é em Portalegre! ^^

    http://purflefox.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. Que demais, eu super amei a ideia do projeto e se possível gostaria de participar um dia. As fotos ficaram incríveis, quem diria que é possível encontrar tanta coisa assim nessa ferramenta do Google? Ler esse post foi como se eu realmente tivesse feito essa viagem, parabéns pelos envolvidos. Estou apaixonado demais no blog e nesse layout incrível. Todo sucesso pra vocês!

    Com amor,
    Blog Newmore

    ResponderEliminar

Palavreiro(a), vai em frente, partilha connosco as tuas palavras :)