e-conversas | Episódio 3, Mindfulness

22 julho 2018

O Mindfulness é o tema da terceira edição das e-conversas do Palavra-padrão, onde juntamos à nossa mesa imaginária as bloggers Daniela Gandra e Joana Clara, e a psicóloga Ana Leal. 


A Ana é psicóloga, psicoterapeuta familiar, e coach de programação neurolinguistica (PNL). Trabalha um conceito inovador e super interessante, o Walking Therapy. Para quem, como nós, nunca tinha tido contacto com este conceito, a Walking Therapy é um processo terapêutico que acontece fora de 4 paredes, de preferência em espaços naturais, como jardins, florestas ou praia. 








A Daniela é videógrafa de casamentos de profissão e criadora de conteúdos online. Em 2010 construiu o seu cantinho no mundo dos blogs, que se inicialmente era focado em moda e estilo pessoal, com o passar do tempo, acabou por se ir moldando cada vez mais à sua personalidade, resultando num espaço de referência no universo de blogs lifestyle. 




A  Joana Clara foi jornalista durante oito anos e trabalha agora como fotógrafa, criadora de conteúdos digitais e assessora.
É o rosto do blog Às Cavalitas do Vento onde partilha as suas experiências e visões irrequietas, positivas e deliciosas sobre o mundo que a rodeia. 







Embora não nos tenha acompanhado até ao final, a Daniela deu um belo pontapé de saída à nossa e-conversa, com a sua própria definição de Mindfulness: uma prática que tem como único objetivo tirar partido das pequenas coisas do momento presente. 

Para a Ana, há uma espécie de botão de preocupações que tendemos a ligar no dia-a-dia. "A prática de respirar fundo, e limitarmo-nos a ser e a estar simplesmente aqui e agora, desligando esse botão, ou aprendendo a baixar o volume de tudo o que nos atrapalha no nosso potencial, chama-se mindfulness. Ao contrário da ideia que se vendeu durante muito tempo, mindfulness não quer dizer limpar a mente de todas a informação da nossa vida, mas apenas dar-nos um espaço para voltarmos ao nosso centro, olhar, sentir, respirar."

A Joana ligou-se à prática do mindfulness por motivos pessoais. Os picos de ansiedade durante a adolescência, a sensação de que perdia controlo da sua vida à medida que aceitava desafios e compromissos sem forças para dizer "não", estiveram na origem da procura por uma solução capaz de proporcionar alguma serenidade e paz. 

E para quem pensa que praticar uma atitude mindfulness implica despender horas e horas de meditação concentrada, em posição de buda indiano, desengane-se. As respostas são unânimes neste aspeto: qualquer um pode estar mais desperto para a realidade em qualquer lado, a qualquer altura. O importante é perceber aquilo que nos faz sentir bem.


E porquê agora? Por que razão o mindfulness parece estar a emergir um pouco por toda a parte? Será uma moda passageira? As nossas convidadas acham que isto vem para durar.


"Acredito que é como andar de bicicleta, não dá para desaprender. Acredito que se possa aprofundar, transformar, renomear. Mas nunca andar para trás neste processo colectivo de auto-aprendizagem." (Ana)



"Ainda bem que, de alguma forma, se tornou uma moda, porque chegou a mais pessoas, que encontraram neste propósito uma resposta que almejavam." (Joana)





E se o conceito de Mindfulness fosse:
- Um som
- Um cheiro
- Um sabor
- Uma cor
- Uma palavra
- Um padrão?



Esperamos que tenham gostado desta e-conversa tanto quanto nós! O que pensam sobre o tema?!

5 comentários:

  1. Revejo-me muito nas posturas evidenciadas em relação a este conceito. Também sinto que é algo muito relacionado com a nossa essência e que não é necessário um lugar e um horário fixos para nos conectarmos connosco. Acho que depende muito das nossas necessidades e, além disso, deve partir das práticas mais simples, como lavar os dentes, como foi mencionado. No fundo, é comprometermo-nos a 100% com o que estamos a fazer, com o que estamos a sentir.
    Gostei muito da ressalva que o truque é não praticarmos o não abandono.

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Também eu gosto muito de viver o aqui e agora.
    Sem saudades do passado ou do futuro.
    Boa semana

    ResponderEliminar
  3. É sempre bom termos momentos para refletir de modo a facilitar o nosso caminhar!!!bj e gostei de ler

    ResponderEliminar
  4. Muito interessante.
    Gostei bastante.

    ResponderEliminar

Palavreiro(a), vai em frente, partilha connosco as tuas palavras :)