Entrada na faculdade | 6 dicas para sobreviver!

11 setembro 2018

Esta semana marcou o início de uma etapa para todos os que deixaram o secundário para trás. Dizemos todos, todos mesmo, até os que não entraram ou decidiram nem se candidatar. É válida a escolha por um gap year, por uma paragem para trabalhar e retomar os estudos um dia, ou mesmo a decisão consciente de não pensar nisso a longo prazo. Ainda assim, hoje dedicamos a nossa reflexão aos que vão entrar para a faculdade.

 Aqui, defendemos que não só é uma mais-valia profissional como também pessoal, mas acreditamos que a faculdade não deve ser pensada como uma inevitabilidade forçada. Deverá  sim ser uma escolha ponderada de algo a que nos imaginamos a gostar de dedicar o nosso tempo, durante vários anos seguidos. Se tomaram essa decisão, então saibam que é verdade o que dizem: a faculdade transforma-vos. Vai ser o palco de um conjunto de mudanças que vão acontecer tão rápido que nem vão  ter tempo para pensar sobre isso. Mas também vão perceber que ser estudante não é muito diferente de ser uma espécie de mutante adaptável às circunstâncias, e quando derem por ela, estarão fundidos nessa plasticina multicolor, pegajosa e brutal que é a vida universitária.

1. O equilíbrio é tudo. 
Não, a faculdade não tem de ser nem o retrato fiel do American Pie, nem tampouco o inverso, um covil de estudo e marranço sem luz solar até Junho do ano seguinte. No primeiro caso, estarás a perder a oportunidade de aprender num ambiente rico e rodeado de pessoas com interesses semelhantes aos teus, no segundo, estarás a abdicar de momentos memoráveis que tornam esta experiência única. Uma gestão eficaz do tempo é importantíssima para poderes manter uma rotina de estudo razoável sem que por isso tenhas de deixar de estar presente na bela da festança com os amigos.

2. O habitat natural das atividades extra curriculares. 
A vida universitária é plena em portas abertas para experiências novas. Desde as tunas aos grupos de teatro, passando pelo jornalismo, associstivismo estundantil, equipas desportivas, grupos de poesia, de debate, de política, de estudo de línguas, até à praxe, muitas são as opções que tens em cima da mesa. A nossa sugestão é que aproveites esta oportunidade para descobrires novos interesses, conheceres novas pessoas e viveres experiências inesquecíveis!

3. Estão todos no mesmo barco. 
A tua turma não vai ser perfeita. Assume já esta verdade como ponto de partida: vai haver sempre pessoas com quem te vais identificar menos que outras, e contra isso não há muito a fazer. Mas sê gentil. Lembra-te que caminham todos na direção dos vossos sonhos e objetivos, e por isso se remarem juntos é mais fácil chegar a bom porto. A partilha de resumos, as sessões de dúvidas em grupo e os emails com enunciados dos exames dos anos anteriores são apenas alguns exemplos de como o peso não tem de estar só nos teus ombros, é mais fácil quando todos seguram um pouco.

4. Os professores não têm três cabeças. 
Atenção, na generalidade dos casos, os professores são tão humanos quanto nós! Ainda que sob aquela capa aparentemente impenetrável a sentimentos de empatia, na maior parte das vezes, estão ali para ajudar. Não tenhas receio de expor as tuas dúvidas e receios, por mais toscos que pareçam.

5. E se eu não conseguir? 
Eventualmente, em determinada altura, vais achar que não sais de lá com vida — ali nos inícios de Janeiro e finais de Junho, para sermos precisos. É um sentimento legitímo, atenção, mas não te preocupes. Dá o teu melhor, dedica-te não só com o cérebro a funcionar em pleno mas também com o coração. Aprende a gostar de aprender e lembra-te que estares aí é uma dádiva: nem todos têm a sorte de poder investir na educação. E se mesmo assim não funcionar, não tem problema. Há mais do que espaço para falhar e recomeçar de novo.  Se não gostares do curso (e se tiveres oportunidade para tal) não tenhas medo de recomeçar noutro que te entusiasma mais. Se reprovares naquela cadeira do demônio, que parece ter sido inventada para efeitos de tortura medieval, não desesperes. Acontece aos melhores e isso não determina o teu percurso aí dentro.
O que trazes para fora da faculdade é mais do que a média das disciplinas e o tempo útil em que concluis o curso. É a tua experiência, as competências que lá ganhaste, muitas vezes sem ser nas aulas, a tua postura em relação aos desafios que vão surgir depois.
 Por isso enquanto aí estás, não penses no quão difícil parece, mas no quão gratificante pode ser o caminho até conseguires.

6. Receita de massa de atum:
Coze a massa em água com azeite durante, aproximadamente, 7 minutos. Junta uma lata de atum. Servir no tacho para lavar menos louça.

Isto tudo para dizer que vais sobreviver, até naqueles dias em que achares que não, e anos mais tarde vais sentir saudade até dos piores dias que aí passaste. Aproveita, agradece, vive à grande e respira fundo. Vai tudo correr bem.

9 comentários:

  1. É muito importante que as pessoas percebam que a faculdade não tem que ser uma consequência inevitável do nosso caminho. Concordo totalmente convosco em tudo o que enumeraram, mas particularmente na ressalva de que é uma mais valia profissional e pessoal. No entanto, deve ser uma decisão ponderada e tomada com consciência. E sem culpas :)
    Adorei as vossas dicas! Acho que são mesmo essênciais

    ResponderEliminar
  2. Ahahah a receita da massa com atum dá muito jeito!! Nunca tinha comido até entrar para a faculdade xD

    ResponderEliminar
  3. Haha, não cheguei a prosseguir os estudos e a entrar para a faculdade, embora admite que gostasse, mas as minhas amigas fizeram questão de me dar a conhecer a famosa receita da massa com atum ou salchichas!

    Com amor,
    ❤️ Hellen Henriques
    https://hellenhenriques.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Comigo foi o total deslumbramento.
    Que depois foi passando... :))
    Bfds

    ResponderEliminar
  5. Ótimas dicas!
    Há tempo para tudo, a palavras é mesmo essa: Equilíbrio. Se soubermos organizar e equilibrar a nossa vida académica, as coisas têm tudo para correr bem.
    Estes anos são fenomenais :)
    Massa com atum é essencial :D
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. ok, boas dicas e tal para os pequenotes, mas... pelo amor de atum!
    o desgraçado do peixe já sofreu que chegue para acabar enlatado... merecia um fim mais condigno que acabar numa tachada de massa.

    ResponderEliminar
  7. dicas muito importantes! era bom que todos os caloiros pudessem ler isto para não se sentirem tão perdidos (como eu me senti no meu primeiro ano)

    ResponderEliminar
  8. "Atenção, NA GENERALIDADE DOS CASOS, os professores são tão humanos quanto nós!" ahahahahah o segredo é levar a faculdade na boa! claro que se tem de estudar e ser responsável mas, quanto mais stressados, pior. tudo acaba por correr bem! :)

    r: yaaaaaay!! obrigada!!! :) tens de experimentar fazer pastéis de nata por ti, sem lactose! ;)

    ResponderEliminar

Palavreiro(a), vai em frente, partilha connosco as tuas palavras :)