Ser criativo | O quê, para quê e como?

05 setembro 2018

"Ser criativo é coisa de artistas."; "Eu não tenho talento."; "A criatividade não é a minha cena.". Todos já dissemos, pensamos, ou conhecemos alguém que proferiu algo próximo destas frases e a verdade é que não poderiam estar mais longe da verdade. 
No post anterior revelámos a nossa nova motivação para este espaço: torná-lo um hino à criatividade e mostrar que todos temos ferramentas para pôr em prática uma vida mais criativa. No entanto, antes de mergulhar à séria nessa nossa intenção, há umas coisas por clarificar. 

1. A criatividade não é (só) para artistas. Até a limpar a casa existe espaço para ela! 

A relação imediata entre a criatividade e o mundo das artes é um mal-entendido que tem sido a vir ultrapassado aos poucos. Uma rápida pesquisa no dicionário diz-nos que a criatividade corresponde à "(...) capacidade de criar, de inventar; qualidade de quem tem ideias originais, de quem é criativo." e isto aplica-se, invariavelmente, a qualquer criatura racional, em qualquer situação do dia-a-dia. 

Pensar em criatividade não é sinónimo de pensar num artista alucinado, fechado num loft parisiense a abarrotar de livros em segunda-mão, a beber café sem açúcar enquanto escreve compulsivamente pela noite adentro. Às vezes é tão só pensarmos nas nossas mães a chegar a casa uma hora antes do jantar sem nada descongelado em cima da banca, e a terem de inventar uma receita com as sobras do dia anterior. Criativo é novo estagiário da empresa que, com recursos limitados, acaba por resolver um problema de uma forma que ninguém esperava; o pai que arranja uma brincadeira para entreter o filho que não gosta de tomar banho, ou a adolescente que encobre a amiga com uma desculpa brilhante sacada num momento de tensão. A criatividade não tem só lugar à secretária de desenho, atrás da câmara ou de um cavalete: se abrirmos espaço para ela, podemos ser criativos em todas as áreas da vida.

Por isso, agora que limpámos o conceito, estamos em condições para recriar a definição do dicionário: a criatividade é sim uma capacidade (porque se treina e pratica) de criar e inventar oportunidades de ação. No fundo, quando o cérebro nos dá uma indicação a seguir, o papel da criatividade é ajudá-lo a multiplicar os caminhos, dando-nos opções mais ousadas e inesperadas do que aquelas que costumamos seguir. 

2. De onde vem a criatividade?!

Existem muitas perspectivas sobre isso, mas destacamos duas das mais conhecidas. Quantos de vocês conhecem o livro "Big Magic" (Pt: A Grande Magia) da Elizabeth Gilbert? Falaremos deste livro numa outra oportunidade, mas para já importa reter que muita da teoria de Gilbert é baseada em Julia Cameron, autora do livro "The artist's Ways" (Pt: Guia prático para a criatividade). Para esta, a criatividade é algo inalienável do ser humano, um fluxo corrente que está para a nossa mente como o sangue está para o corpo. Na sua visão, a criatividade habita no lado subconsciente da mente (aquele que está debaixo de água, na metáfora do iceberg) e só quando abandonamos o lado consciente e deixamos espaço para a nossa verdadeira natureza, conseguimos chegar à criatividade.

Quando nos cruzamos com a teoria de Edward Bono foi com alguma estranheza que encaramos o seu principal pressuposto que, no fundo, era a total oposição ao primeiro: a criatividade não tem nada de natural. A ideia-base desta teoria é a de que o nosso cérebro funciona, inconscientemente, através de padrões rotinados, procurando sempre seguir uma linha que lhe é familiar: quando nos deparamos com uma situação, reagimos com base na nossa experiência em situações anteriores semelhantes. A criatividade, para Bono, é remar contra essa tendência, agindo conscientemente para treinar o nosso cérebro a adoptar uma postura de Lateral Thinking - que é como quem olha para os lados numa estrada a direito. 
Nas palavras do autor, tal como um motorista pode mudar o percurso sempre que quiser, também nós podemos alterar a rota do nosso pensamento daquilo que é o curso normal dele, para um lugar novo e por explorar. É a esse lugar que pretendemos chegar. E levar-vos connosco. 

Para nós, faz sentido acreditar que a criatividade tem origem na junção destas duas perspectivas: a matéria da criatividade habita no lado submerso da nossa mente, tipo plasticina em bruto, mas só com treino e prática do lado consciente é possível brincar com ela e moldá-la a gosto. Faz sentido?
3. Para que raio é que eu preciso disso na minha vida?!

Quanto mais não seja, para saberemos o que jantar amanhã. 
A criatividade é uma ferramenta poderosa a nível pessoal, social e profissional. É uma forma de nos conhecermos em profundidade, ajudando-nos a tomar decisões e atitudes que não seriamos capazes de equacionar se não abríssemos espaço para o pensamento criativo. Ajuda-nos a perspetivar melhor as situações que envolvem outras pessoas, e por isso facilita-nos a relação com elas: torna-nos mais compreensivos, tolerantes e empáticos. No mundo do trabalho, coloca-nos em vantagem face a situações inesperadas, problemas e obstáculos a que não estaríamos aptos a resolver pensando "dentro da caixa". 
Estes são apenas alguns exemplos das razões pelas quais vale a pena treinar o músculo da criatividade. 

4. Como chegamos lá? 

Isso é o que nos propomos a partir de agora: a procurar caminhos para despertar a criatividade e partilhá-los convosco. Para já, podemos deixar apenas o mote que nos conduziu até esta ideia.. Olhar para tudo como se fosse a primeira vez; dar um pontapé na familiaridade; praticar, praticar e praticar o olhar para o lado numa estrada a direito. 

20 comentários:

  1. Adoro a desconstrução que vocês fazem da criatividade, porque também sinto que ainda há quem ache que só está reservada a um grupo restrito de pessoas.
    Como sempre, abordaram um tema mesmo interessante, com uma roupagem clara e cativante :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Andreia! Queremos mesmo provar-lhes que estão errados :D Isto está ao alcance de qualquer um! Obrigada e muitos beijinhos!

      Eliminar
  2. Criatividade pode revelar-se em tudo e em todos.
    É só perder o medo e tentar.

    ResponderEliminar
  3. Ser criativo está na alma de cada um ... Pior é que nem todos conseguem aproveitar esse talento escondido ! Bj e gosto do texto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acreditamos que sim, Gracinha. Às vezes o medo de tentar ou a falta de tempo e disposição para tal são obstáculos difíceis de contornar, mas vale muito a pena! :)
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Concordo que ser criativo é algo essencial para tirar o tom cinza das nossas vidas, pessoalmente procuro sempre maneira de mudar e inovar em tudo aquilo que faço!

    ResponderEliminar
  5. Concordo completamente e gostei imenso da forma como abordaram o tema. A criatividade é algo que todos conseguimos de uma forma ou de outra ser, com persistência e com trabalho. (:

    http://arrblogs.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras, Ângela! Por cá acreditamos que o mundo fica mais bonito se cada um de nós colocar os músculos da criatividade a trabalhar :)

      Beijinhos

      Eliminar
  6. A criatividade pode esconder-se nos mais pequenos pormenores. Gostei imenso do post!
    Beijinho *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, Patrícia! :) Obrigada e beijinhos!

      Eliminar
  7. gostei muito deste post! a criatividade torna as nossas vidas menos aborrecidas, mais coloridas. tenho pena que com o passar dos anos tenha "perdido" um pouco da minha...
    beijinhos :) https://ratsonthemoon.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca é tarde para recuperar, Ana! :) As pessoas podem surpreender-se com o potencial criativo que têm, mesmo passados muitos anos! E é uma descoberta linda!

      Um beijinho!

      Eliminar
  8. Gostei e concordo com essa noção de criatividade, ela deve acompanhar a vida em todos os momentos. Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  9. Concordo inteiramente. Toda a gente é criativa, basta ser...criativo. Faz sentido?
    Parabéns pelo post, a criatividade consegue-se quando nem sequer pensamos nisso. Está em tudo na nossa vida.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faz todo o sentido!! :D Obrigada Andreia, um grande beijinho!

      Eliminar
  10. Gostei tanto deste post. Todos sabemos ser criativos, aliás, somos criativos quando menos esperamos e em coisas tão simples :)
    Como vocês referes, basta praticar, basta ter vontade e deixemo-nos surpreender!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso mesmo! A criatividade está até nos mais pequenos gestos, basta ter vontade de procurá-la :D
      Beijinhos

      Eliminar

Palavreiro(a), vai em frente, partilha connosco as tuas palavras :)