Criatividade organizada, parte 1 | Guardar ideias

08 novembro 2018

A ideia de que a criatividade surge no caos desorganizado, tipo bactéria alojada numa caixa de pizza esquecida debaixo da cama (isto só acontece nos filmes, right?!), tem vindo a ser desacreditada. Cada vez mais surgem ferramentas e estratégias que nos ajudam a orientar o pensamento, conduzindo-nos na direção certa (e são tantos os caminhos!) para uma vida mais criativa. Vamos espreitar algumas dicas? 
Já chegamos aqui à conclusão de que a criatividade não é muito diferente do jeito para cozinhar: quanto mais se pratica, menor é a probabilidade de cheirar a queimado. Também já metemos em pratos limpos que podemos ser criativos na pintura e na música, é certo, mas também podemos sê-lo numa oficina de automóveis, atrás do balcão de uma loja ou a tratar da faturação da empresa, porque a criatividade não tem a ver aquilo que se faz, mas sim com a forma como se faz. E a forma como se faz não é muito complexa (pelo que se diz por aí), no fundo, basta articular alguma organização com momentos de trapalhonice divertida. 

Um primeiro passo para nos organizarmos criativamente é assumir o seguinte: as ideias têm pernas longas para fugir e temos de estar preparados para apanhá-las.



O nosso cérebro é um bocadinho como a mala das nossas mães: sabes que meteste lá uma coisa, lembras-te, inclusive, de a teres tido na mão, mas assim que ela entra nesse buraco negro com alças, adeus, podes nunca mais encontrá-la no meio de pacotes de lenços com cheirinho, canetas que não escrevem e recibos de almoços de restaurantes que já fecharam há três anos. 
O mesmo acontece com as ideias, e para que não se percam na imensidão de pensamentos que transportamos connosco todos os dias, o cuidado de apontarmos  aquilo que nos vêm à cabeça, por muito insignificante que possa parecer, pode fazer a diferença. 

Podemos fazê-lo à old school, com cadernos, blocos de notas e listinhas, que atenção, somos super fãs por cá, ou podemos recorrer a algumas ferramentas curiosas que têm a vantagem de podermos transportar no nosso telemóvel e partilhar com outras pessoas. Nós dois gostamos de combinar ambas as coisas e tirar partido do que o offline e o online têm para nos dar.



O Evernote é uma ferramenta poderosa que nos permite criar blocos de notas e partilhá-los. Parte do que acontece no backstage do Palavra-padrão tem lugar lá: ambos apontamos ideias, escrevemos posts, sugestões de lugares para visitar, enfim, tudo e mais alguma coisa, e temos acesso a essa informação em qualquer lugar! É prático, gratuito e super fácil de utilizar. 


Esta é uma aquisição recente mas promissora. Permite-nos, mais uma vez individualmente ou em grupo, fazer quadros visuais de ideias. Com recurso a post-its, podemos tomar nota de coisas com ou sem relação entre si, juntando vídeos, ficheiros e imagens. É muito útil para preparar posts para o blog, organizar projetos de escrita, fotografia, design... mas também para o dia-a-dia, inclusive no trabalho. É gratuita e mega acessível.


Esta aplicação tem estado votada ao esquecimento por nós, e injustamente. No fundo, funciona como uma bolso digital, onde vamos guardando tudo o que encontramos pelo caminho que possa ter interesse para nós. Navegar na internet pode ser exaustivo quando há tanto para ver e consultar, e o Pocket é uma forma simples e engraçada de guardar coisas para ler mais tarde. Tem a vantagem de podermos categorizá-las, o que facilita a nossa gestão da informação. 

Esperamos que tenham gostado destas sugestões. Conhecem outras? Partilhem connosco! :) 

7 comentários:

  1. Muito interessante, não conhecia essas ferramentas.
    Obrigada pela partilha.

    ResponderEliminar
  2. É realmente importante tudo isto. Muito obrigado pela partilha!

    ResponderEliminar
  3. A criatividade pode surgir livremente, mas também acho que o facto de a "treinarmos" acaba por nos deixar mais predispostos. Porque é com a prática que vamos alargando horizontes.
    Por cá, também sou muito fã de cadernos/blocos de notas, sinto que o meu pensamento flui melhor quando escrevo à mão. No entanto, quando não é possível, o Evernote é o meu aliado

    ResponderEliminar
  4. De todas as aplicações, só não conhecia o Stormboard. No entanto, pelo que li, parece-me uma óptima ferramenta, até mesmo para usar no emprego!

    Obrigada pelas dicas! Beijinhos *

    ResponderEliminar
  5. Confesso que não uso nenhuma destas ferramentas, no entanto, aproveito o bloco de notas do telemóvel e guardo lá as ideias que vou tendo. Mais tarde, vou desenvolvendo :)
    Obrigada pelas sugestões!

    ResponderEliminar
  6. Gostei de ler, gostei da ideia de que a criatividade faz parte da vida. Nunca usei nenhuma dessas aplicações, costumo anotar as ideias em cadernos. :) Beijinhos

    ResponderEliminar

Palavreiro(a), vai em frente, partilha connosco as tuas palavras :)